Crise da Prefeitura do Rio chegará à Saúde e à Educação

Até 2038, a Prefeitura do Rio precisa pagar R$ 6,9 bilhões em empréstimos realizados, especialmente, para obras de mobilidade ligadas à Olimpíada. Porém, conforme afirmou o prefeito Crivella, se não houver renegociações com os bancos, a situação pode atingir em cheio os servidores, com o atraso de salários.

Além disso, conforme informou uma fonte à coluna, não só os salários estariam em risco. Com a crise de caixa, a prefeitura pode destinar menos verbas para áreas importantes, como Saúde e Educação, já a partir de 2018. Ainda não há percentual de corte definido, o que depende diretamente do desempenho de caixa e da geração de novas receitas.

De acordo com a Secretaria municipal de Fazenda, a dívida total do município a ser paga de abril a dezembro deste ano é de R$ 1 bilhão. Os principais credores são o BNDES e a Caixa Econômica Federal, que, juntos, totalizam R$ 720 milhões a pagar em 2017. Esses são os valores que o prefeito Marcelo Crivella tenta negociar para evitar problemas com a folha de pagamento.

Fonte da notícia: Jornal Extra online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *